Vitamina D: como e quando tomar?

07/05/2021

A vitamina D é responsável pela absorção de cálcio e fósforo pelo intestino, sendo de grande importância para o metabolismo ósseo e para a manutenção da saúde musculoesquelética. Apesar de ser facilmente obtida por meio da exposição à luz solar, nem todos os pacientes conseguem manter níveis adequados da vitamina no organismo. Mas você sabe quando tomar vitamina D?

Quais os perigos da falta de vitamina D?
Em adultos, a hipovitaminose D – deficiência de vitamina D no organismo – pode ocasionar efeitos graves, como hiperparatireoidismo secundário e perda óssea. Como consequência, o paciente fica mais suscetível a desenvolver osteoporose e apresentar fraturas, sobretudo na terceira idade.

A deficiência de vitamina D no organismo também está associada ao aumento de risco de ocorrência de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer, obesidade e síndrome metabólica. Além disso, a falta da vitamina pode favorecer o surgimento de doenças autoimunes, como artrite reumatoide e esclerose múltipla.

Quando tomar vitamina D?
O primeiro passo para saber quando tomar vitamina D é conhecer a quantidade exata da vitamina em seu organismo. Para isso, é necessário realizar um exame de sangue chamado 25-hidroxivitamina D. Ao observar os valores de referência após o resultado, é possível determinar se você necessita da suplementação.

Devido à rotina agitada, aos cuidados excessivos com a exposição solar e ao maior tempo que estamos passando dentro de casa por conta das regras de isolamento social, a prevalência da deficiência de vitamina D é considerada bastante alta no Brasil.

Em alguns casos, a exposição diária ao sol por cerca de 15 a 20 minutos é suficiente para aumentar a quantidade da vitamina. No entanto, existem alguns grupos com condições de risco para deficiência de vitamina D que podem receber a recomendação de tomar suplementação para obter a quantidade diária ideal da vitamina.

Dentre os principais fatores de risco para a deficiência de vitamina D estão:

idade avançada;

obesidade;

pele escura;

insuficiência hepática;

doenças inflamatórias;

hiperparatireoidismo primário;

doença renal crônica;

ressecção pancreática ou intestinal.

Como tomar vitamina D?
A dose diária adequada de vitamina D depende das necessidades de cada paciente.

Em relação a horários, não há uma regra padrão sobre como tomar vitamina D. A principal recomendação é que a dose diária seja ingerida em conjunto ou após uma refeição sólida, como o almoço ou café da manhã, de preferência com alimentos que contenham alguma fonte de gordura saudável.

De maneira geral, é importante que as vitaminas sejam tomadas na melhor hora para o paciente, já que isso ajuda a criar uma rotina e evita o esquecimento das doses diárias de suplementação.

Em relação às formas de suplemento, o ideal é optar por comprimidos ou cápsulas manipuladas, uma vez que é possível adequá-las de acordo com suas necessidades específicas. Lembrando que é importante passar por uma avaliação com um profissional para receber a orientação sobre a dose diária recomendada e a melhor forma de suplementação para o seu caso.

Os riscos do excesso de vitamina D
Muitos pacientes podem se automedicar e ingerir quantidades de vitamina D de maneira indiscriminada, acreditando que o excesso da vitamina não será prejudicial.

No entanto, a ingestão de grandes doses causa risco de intoxicação, podendo provocar aumento na captação intestinal de cálcio e levar à reabsorção tubular renal e óssea.

Para evitar que isso aconteça, é importante seguir todas as recomendações médicas e nunca tomar suplementação por conta própria. O acompanhamento médico e a realização de exames periódicos também são fundamentais para avaliar a quantidade de vitamina D e contribuir para que ela fique sempre dentro dos níveis desejados.

Quer conferir mais dicas sobre saúde, bem-estar e qualidade de vida? Acompanhe todas as minhas atualizações no Facebook e Instagram para saber mais!

Publicado por: Dra. Christiane Fujii - CRM/SC 8813 RQE 5292 e 8074
Formada em Medicina pela Universidade Regional de Blumenau FURB, fez especializações em Homeopatia, Acupuntura, e pós-graduações em Ciências da Fisiologia Humana pelo Grupo Longevidade Saudável e Prática Ortomolecular
Doctoralia    

    Inscreva-se em nossa newsletter

    Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.